Music, Ideas & Evolution

John Cage e a Música do Silêncio.

Mas afinal, o que é música? Ou melhor, o que deve ser considerado música?

Compositor, teórico musical, escritor e artista, o gênio e único John Cage acreditava que tudo o que estamos acostumados a ouvir e chamar de música não deveria necessariamente ser considerado música.

Para ele, o som deveria ser ouvido do jeito que realmente é e somente assim, seria possível estabelecer o objeto, o qual, mesmo que não existisse, existia dessa maneira.

Seu trabalho consistiu principalmente em livrar -nos dos sons tradicionais; das harmonias, melodias e ritmos, para oferecer-nos uma nova sonoridade, livre de qualquer dependência através de uma espécie de sinfonia, com a incorporação de peças de madeira, borracha ou metal, assim como ruídos cotidianos e sons eletrônicos.

Nascido em 5 de setembro de 1912 na cidade de Los Angeles, foi aluno de Schoenberg e Boulez, inovadores musicais. É considerado um dos principais inovadores da música contemporânea e um dos principais percurssores da música eletrônica; acreditava que a mesma era um som sem intermediação, sem intérpretes e sem bajulação.

Seu trabalho é uma completa manifestação sinestésica; suas partituras caracterizam-se por desenhos que tecem visualmente o som e libertam os ouvidos ao permitir que o olhar leia os sons e os ouvidos escutem o desenho.

Trabalhou em cima do conceito do ruído e do silencio, e criou uma nova experiência musical. Também questionou a noção de tempo e espaço onde passado e futuro estariam contidos no presente.

“(…) As fontes sonoras vêm de diferentes pontos no espaço; (…) alguém sentado / numa varanda / numa cadeira de balanço / fumando um cachimbo / olhando a / paisagem que se estende na distância / imagina que / quando essa pessoa / que é qualquer um / está sentada lá / sem fazer nada / está ouvindo sua própria sinfonia (…)”

Cage desenvolveu nas pessoas o próprio sentido e modo de ouvir e provou que a arte não precisa nem deveria ser um produto a ser ostentado e sim, um organismo vivo a ser modulado todo o tempo.

O artista morre aos 79 anos, em Nova York, em 12 de Agosto de 1992.

Conheça melhor o trabalho de Cage:

http://www.johncage.org/
http://www.johncage.org/autobio/indeterminacy2.html#
http://www.johncage.info/index2.html

Tags: , , , , , , ,

Mariana Verzaro

About the Author

About the Author: É idealizadora da Círculo Produções, blogger, produtora musical, manager de djs, musicoterapeuta organizacional e estudante de neurociência. Multitask ou melhor multiloca, já foi dona de loja, garçonete, Dj, assistente de cobrança, vendedora, professora de universidade, webdesigner, fotógrafa, produtora de eventos, especialista em logística de piloto e dona de Club. Ama o cérebro, teorias de conspiração, ser do contra e escrever. .

Subscribe

If you enjoyed this article, subscribe now to receive more just like it.

There is 1 Brilliant Comment

Trackback URL | Comments RSS Feed

Sites That Link to this Post

  1. A música e a impermanência – Parte 2 : MVERZARO | February 17, 2017

Post a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Top