Music. Ideas. Awareness

Compulsão por álcool – Quais são as causas?

By on December 9, 2019 in Neuromundo with 0 Comments

Durante anos, os pesquisadores procuraram respostas sobre o por quê do álcool produzir resultados radicalmente diferentes para quem o consome.

Como é que alguns indivíduos podem beber por toda a vida adulta sem desenvolver hábitos compulsivos, enquanto outros passam rapidamente para problemas com o consumo de álcool?

Beber socialmente é muito normal e faz parte da rotina de muita gente e, mesmo com os efeitos e consequências negativos, cerca de 30% de todos os adultos expostos ao álcool passam a se envolver em comportamentos compulsivos de bebida.

Agora, um novo estudo de neurocientistas de Vanderbilt e do Salk Institute está fornecendo respostas iniciais para essas questões científicas de longa data e lançando um novo método para pesquisar o que causa a transição do consumo moderado para o consumo compulsivo do álcool.

“Em nosso laboratório, estamos focados na neurociência da adicção e compreendemos como os padrões de atividade neural dão origem ao uso compulsivo de drogas e álcool”, diz Cody Siciliano, professor assistente de farmacologia e autor do estudo.

“Neste estudo, buscamos entender inicialmente como o cérebro é alterado pelo consumo excessivo do álcool para impulsionar o consumo compulsivo de álcool. No processo, deparamos com uma descoberta surpreendente, na qual fomos capazes de prever quais sujeitos se tornariam compulsivos com base na atividade neural durante a primeira vez que estavam bebendo.”

Usando um modelo comportamental em ratos, a equipe apresentou descobertas que mostram que, mesmo quando os indivíduos têm a mesma oportunidade de beber, eles se dividem em categorias distintas com base nas características: bebedores leves, pesados ​​e compulsivos (ou seja, aqueles que continuam bebendo mesmo quando vivem consequências negativas devido ao consumo de álcool).

A equipe começou recriando um cenário de bebida (chamado de “tarefa de compulsão induzida por bebedeira”) para avaliar como a predisposição interage com a experiência para produzir o comportamento de beber compulsivamente. Eles rastrearam o consumo compulsivo de álcool durante essas primeiras experiências de consumo e novamente em momentos posteriores.

Usando imagens de cálcio com resolução celular e microscópios em miniatura, os pesquisadores acompanharam a luminescência da atividade nos neurônios durante a primeira vez em que os indivíduos bebiam álcool. Quanto mais brilhantes e ativos os neurônios se tornavam, menor a probabilidade de o sujeito desenvolver comportamentos compulsivos de bebida. Por outro lado, os neurônios dos bebedores predispostos ao comportamento compulsivo acalmaram e diminuíram a atividade durante o consumo.

Curiosamente, as diferenças na atividade neural foram observadas durante a primeira experiência com a bebida, muito antes do surgimento de comportamentos compulsivos, permitindo que os pesquisadores previssem com antecedência quais indivíduos passariam a exibir comportamentos problemáticos com a bebida.

As descobertas ajudaram a construir um novo modelo comportamental, e a equipe identificou o circuito cortical-tronco cerebral específico que serve como biomarcador e a plataforma celular para o eventual desenvolvimento do comportamento compulsivo de beber.

Segundo Siciliano, os resultados do biomarcador e da plataforma não só têm implicações no futuro dos estudos sobre dependência de álcool, mas também em outros estudos sobre abuso de substâncias.

    “Desenvolvemos esse modelo para estudar o caminho do transtorno por uso de álcool, mas planejamos aplicar uma estrutura semelhante para avançar em nossa compreensão do uso compulsivo de outras substâncias”.

Meu projeto de doutorado envolve a criação de um teste realizado via celular que possa detectar o uso de álcool do usuário e previnir acidentes de trânsito ocasionados pelo uso do dessa substância. Estamos buscando voluntários! Para participar escreva no: mverzaro@usp.br Sua participação poderá salvar muitas vidas!

Para saber mais:
https://science.sciencemag.org/content/366/6468/1008

 

Tags: , , , , , , , , , , , ,

About the Author

About the Author: É neurocientista, dona da Círculo Produções (http://www.circuloproducoes.com), professora de Yoga, Dj, blogger e vlogger. Já foi dona de loja, garçonete, assistente de cobrança, vendedora, professora de universidade, webdesigner, fotógrafa, especialista em logística de piloto e dona de Club. Ama música, o cérebro, o universo, a ciência e escrever. .

Subscribe

If you enjoyed this article, subscribe now to receive more just like it.

Post a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

three + nine =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Top