Music. Ideas. Awareness

O que é a Ansiedade?

By on August 3, 2019 in Ciência do Dia a Dia with 0 Comments

Uma sensação de desespero. Uma inquietude eterna. Realização de atos repetitivos como checar a cada segundo o celular. Situações desconfortáveis, pressa, paranoia, insônia. Mesmo quando se está parado a mente parece estar num parque de diversões, não para um segundo. Um zilhão de pensamentos em cada instante. Idéias, desgraceiras, soluções, contas, alegrias, tudo vêm a mente ao mesmo tempo. A impressão que dá é que uma hora a cabeça vai explodir que nem aqueles aparelhos que entram em colapso.

Eu já sabia que tinha um problema de ansiedade quando fui diagnosticada com transtorno de ansiedade generalizada. Não foi uma novidade para mim. A novidade, porém era começar a lutar contra ela. No meu caso, foi necessário uma mudança muito grande nos meus hábitos e estilo de vida.

Ansiedade é uma emoção normal e muitas vezes saudável. Cortisol, o hormônio do stress é necessário para motivação, memória, criatividade e para nos manter atentos quando em estado de vigília.

No entanto, quando uma pessoa sente regularmente níveis desproporcionais de ansiedade, isso pode se transformar num distúrbio sério.

A ansiedade leve pode ser vaga e inquietante, enquanto a ansiedade severa pode afetar seriamente a vida cotidiana.  Os transtornos de ansiedade afetam mais de 18 milhões de pessoas no Brasil. Sendo o país que mais possui pessoas com o distúrbio no mundo.

Desde os primórdios da humanidade, a aproximação dos predadores e do perigo desencadeava alarmes no corpo e permitia a ação evasiva. Esses alarmes tornam-se perceptíveis na forma de um batimento cardíaco elevado, sudorese e aumento da sensibilidade ao ambiente. O perigo causava um surto de adrenalina que vez desencadeava essas reações ansiosas em um processo de resposta chamado “luta ou fuga”.

Hoje, a ansiedade gira em torno do trabalho, dinheiro, vida familiar, saúde e outras questões cruciais que exigem a atenção de uma pessoa, sem necessariamente exigir a reação de “lutar ou fugir”. 

O sentimento nervoso diante de um evento importante da vida ou durante uma situação difícil é um eco natural da reação original de “luta ou fuga” e, em algumas situações, pode ser essencial para a sobrevivência; a ansiedade de ser atropelado por um carro ao atravessar a rua, por exemplo, significa que uma pessoa instintivamente olha para os dois lados para evitar o perigo. 

Porém, quando a duração ou gravidade de um sentimento ansioso é desproporcional em relação ao gatilho original, ou estressor e  sintomas físicos, como aumento da pressão arterial e náusea, são mais permanentes, isso pode se transformar em um transtorno de ansiedade. 

O DSM-5 descreve uma pessoa com transtorno de ansiedade como “tendo pensamentos ou preocupações intrusivas recorrentes, excessivas e obsessivas”.

As causas dos transtornos de ansiedade são complicadas. Muitos podem ocorrer de uma só vez, alguns podem levar a outros, e alguns podem não levar a um transtorno de ansiedade, a menos que outro esteja presente. 

As causas possíveis incluem:

  • estressores ambientais, como dificuldades no trabalho.
  • problemas de relacionamento ou problemas familiares.
  • fatores genéticos, pessoas que têm membros da família com um transtorno de ansiedade são mais propensas a experimentar um deles.
  • fatores médicos, como os sintomas de uma doença diferente, efeitos colaterais de algum medicamento ou o estresse de uma cirurgia intensiva ou recuperação prolongada.    
  • química do cérebro, psicólogos definem muitos transtornos de ansiedade como desalinhamentos de hormônios e sinais elétricos no cérebro.    
  • abstinência do uso de uma substância ilícita.

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos da Saúde Mental (DSM-V) classifica os transtornos de ansiedade em vários tipos principais. Em edições anteriores, os transtornos de ansiedade incluíam transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), bem como transtorno de estresse agudo. No entanto, o manual já não agrupa essas dificuldades de saúde mental sob ansiedade.

Segue os principais tipos:

  • Transtorno de ansiedade generalizada (TAG): é um distúrbio crônico que envolve ansiedade excessiva e duradoura e preocupações com eventos, objetos e situações da vida não específicos.  
  • Transtorno do pânico: ataques breves ou repentinos de intenso terror e apreensão caracterizam o transtorno do pânico. Esses ataques podem causar tremores, confusão, tontura, náusea e dificuldades respiratórias. Ataques de pânico tendem a ocorrer e aumentar rapidamente, com pico após 10 minutos. No entanto, um ataque de pânico pode durar horas.  Um indivíduo que tenha um ataque de pânico pode interpretá-lo erroneamente como uma doença com risco de vida, e pode fazer mudanças drásticas no comportamento para evitar futuros ataques. 
  • Fobia específica: Este é um medo irracional e evitação de um determinado objeto ou situação, se relacionam com uma causa específica.  Gatilhos para uma fobia variam de situações e animais para objetos do cotidiano. 
  • Agorafobia: É um medo e evitação de lugares, eventos ou situações das quais pode ser difícil escapar ou em que a ajuda não estaria disponível se uma pessoa ficar presa. Uma pessoa com agorafobia pode ter medo de sair de casa ou usar elevadores e transporte público.
  • Mutismo seletivo: Esta é uma forma de ansiedade que algumas crianças experimentam, na qual elas não são capazes de falar em certos lugares ou contextos, como a escola, embora possam ter excelentes habilidades de comunicação verbal em torno de pessoas familiares. Pode ser uma forma extrema de fobia social. 
  • Transtorno de ansiedade social ou fobia social: é um medo do julgamento negativo de outros em situações sociais ou de constrangimento público, inclui medo do palco, medo da intimidade e ansiedade em torno de humilhação e rejeição.
  • Transtorno de ansiedade de separação: Altos níveis de ansiedade após a separação de uma pessoa ou local que fornece sentimentos de segurança.

O tratamento envolve uma combinação de diferentes tipos de terapia, medicação e aconselhamento. Um estilo de vida ativo com uma dieta equilibrada pode ajudar a manter as emoções ansiosas dentro de limites saudáveis. No meu caso, utilizei medicação por um tempo, comecei a praticar exercícios físicos, meditação e Yoga; parei de fumar, de comer carne, diminui o álcool, comecei a dar mais atenção à minha alimentação evitando comidas processadas e passei a organizar a minha rotina separando um tempo para me cuidar e estar mais comigo mesma, buscando equilíbrio. 

Não existe cura para a ansiedade pois a ansiedade em si não é uma condição médica, mas uma emoção natural que é vital para a sobrevivência. Um transtorno de ansiedade se desenvolve quando essa reação se torna exagerada ou desproporcional ao gatilho que a causa.

Referências:

  • https://www.medicalnewstoday.com/

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

About the Author

About the Author: É neurocientista, idealizadora da Círculo Produções, professora de Yoga, Dj de Techno e blogger. Já foi dona de loja, garçonete, manager de artista, assistente de cobrança, vendedora, professora de universidade, webdesigner, fotógrafa, produtora de eventos, especialista em logística de piloto e dona de Club. Ama música, o cérebro, o universo, a ciência e escrever. .

Subscribe

If you enjoyed this article, subscribe now to receive more just like it.

Post a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

fourteen + fifteen =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Top